Ucrânia

Padrão

        ucrania_1768         Depois de ler a biografia de Clarice Lispector, por Benjamin Moser, no final do ano passado, e conhecer suas origens ucranianas, o país não saiu mais da minha mente. Então, o jeito foi colocar a Ucrânia na vez, para conhecer um pouco mais sobre o país. E melhor ainda, sabendo que Nicolai Gógol era de fato ucraniano, e não tendo eu ainda, lido nada dele, cheguei a escolha perfeita com o seu livro Tarás Bulba, escrito em 1835. Para escrevê-lo Gógol fez uma grande pesquisa sobre a história e o folclore da Ucrânia. Na época em que se passa a história(uma novela na verdade), o país, tendo sido ocupado pela Lituânia, havia passado ao julgo da Polônia, por união de soberanos. Em contraponto a política de conversão ao catolicismo imposta aos ucranianos ortodoxos, pelos poloneses, foram criados grupos de resistência, as confrarias, dando início a uma grande revolta cossaca. Como explica Nivaldo dos Santos, tradutor, no posfácio do livro: “Os cossacos haviam surgido no sul da Ucrânia no século XV. O termo “cossaco” é de origem turca(“kazak” significa homem livre) e era usado para designar os homens que, ocasionalmente apareciam nas estepes próximas ao rio Dniepr para caçar e pescar”. E  já no século XVI, eles formavam uma poderosa sociedade militarizada.

                          Tarás Bulba, é um velho e  radical coronel, criado com a ânsia guerreira. Seus dois filhos Óstap e Andríi, acabam de voltar para casa depois de concluírem os estudos, o que para Bulba não significa absolutamente nada, não tem importância, o que vale mesmo, é aprender a arte de lutar, ser um verdadeiro cossaco. Embora estejam em tempos de paz, ele não vê a hora de levar os filhos para se alistarem no Zaporójie, região que entre os séculos XVI e XVIII serviu de quartel general para os cossacos, e que constitui a verdadeira ciência para Bulba. Ele decide que não podem perder tempo e para desespero da mãe, que mal tem tempo de abraçar os filhos, resolve partir na manhã seguinte. Tarás Bulba tem uma personalidade vibrante, ele é um brutamontes machista com seus valores nacionalistas e éticos bem ao sabor da cultura cossaca. E no meio dessa vibração cossaca vamos acompanhar as aventuras de Bulba e seus dois filhos. Ele é fascinante, e é impossível ficar indiferente a sua pessoa, as vezes achava graça do jeito dele, e as vezes morria de raiva. Embora não goste muito da violência, quase podia ouvir os sabres batendo e cortando as cabeças, ainda assim fiquei fascinada pela história.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s