Arquivo da categoria: Peru

Vale Sagrado – Urubamba e Ollantaytambo

Padrão

 

Caminhando em direção ao ônibus, depois de terminada as trilhas nas ruínas de Pisaq

                    Terminada as trilhas, nos terraços e ruínas de Pisaq, nos dirigimos ao ônibus, para continuar o passeio. O próximo destino, era a cidade de Urubamba, uma cidadezinha bem agradável, mas que, na verdade, nem deu para passear direito, porque era a parada do almoço. Então só deu mesmo para dar um pequeno rolé, nas imediações do restaurante. No tour, o almoço poderia estar incluído no pacote, mas preferimos a liberdade da escolha, para não cair naqueles restaurantes de carregação, para onde se costuma levar os turistas. Não sei como foi o almoço do resto do grupo, mas o nosso estava delicioso, sem contar que o restaurante ficava no local muito agradável.

Restaurante em Urubamba

                    De Urubamba seguimos para Ollantaytambo, e como falei antes, nosso roteiro, era o básico do básico, em função do pouco tempo. Foi uma pequena caminhada pelo centro de Urubamba e outro em Ollanta,

Centro de Ollantaytamba

                        O nosso grupo ainda continuou, mas nós ficamos em Ollanta,  para pegar o trem para Águas Calientes, onde iriamos dormir, antes de ir para Machu Picchu. Para falar a verdade, ficamos com o tempo bastante apertado, e quase perdemos trem, começamos caminhando, e no final saímos correndo, foi meio tenso, mas no final deu tudo certo. Com emoção, sempre é melhor!

Centrinho de Ollanta

Corre Gabi!

E por mais que a gente andasse/corresse, a estação não chegava!

Ufa, chegamos!

Vale Sagrado – Pisaq

Padrão

                   Bom dia Peru! Depois de um começo tumultuado, nada como uma boa noite de sono, e um excelente café da manhã, para ganhar alma nova. Enquanto aguardava o nosso guia, recebi a boa notícia de que a TAM havia localizado minha mala, e no máximo em duas horas a deixaria na pousada. Não ia dar para esperar, mas era um alento saber que ela estaria lá, me esperando quando retornasse de Machu Picchu. Para percorrer o Vale Sagrado, nós contratamos um tour, lá mesmo na pousada, e foi de lá que saímos andando até chegar no ônibus, pois eles não podem entrar no centro histórico, onde estava situada nossa pousada. Daí para frente, todos os momentos vividos nessa viagem em família, foram inesquecíveis. Na caminhada até o ônibus, pudemos sentir a magia que era caminhar por entre as ruas de Cuzco, e essa sensação permaneceu durante toda a estadia no Peru, que país é esse? Pura magia e encanto.                 Nosso roteiro era o básico do básico, em função do pouco tempo que dispunhámos: Pisaq, Urubamba e Ollantaytambo, sendo que ficaríamos nessa última, para pegar o trem para Águas Calientes. A primeira parada oficial, porque antes paramos para lanches e artesanatos, foi em Pisaq. 

              A medida que o ônibus margeava o leito do rio Urubamba, em direção as ruínas de Pisac, a paisagem ia nos deixando sem fôlego, e então enxergamos os terraços!  Tínhamos chegado as ruinas de Pisaq, e mal dava para conter a impaciência até o ônibus parar, e ouvir todas as recomendações do guia.

Lá embaixo decidindo se subia até o topo, ainda traumatizada com o soroche

Esse era o topo

E a alegria de quem fez a escolha certa, depois de chegar no topo!

Sãos e salvos e de volta ao ônibus!

Um tumulto pra começar!

Padrão
Cuzco

Cuzco

                             Chegamos no aeroporto de Lima as 5:35, e o nosso voo para Cuzco estava previsto para as 9:00h, como a duração do voo era de 1 hora, chegaríamos em Cuzco as 10:00h, teríamos tempo para descansar, almoçar e seguir em nosso City Tour a tarde, esse era o plano, certo? Só que não! Essa era a expectativa!  A realidade foi bem diferente:  Cada um tinha levado uma malinha de mão, pouca coisa, não precisaria despachar. Só que Gabi, #minhafilhamochileirafashion# estava com peso demais em seu mochilão, então pensamos, já que ia ter que despachar um volume, melhor despachar logo tudo. Resultado: minha mala não veio! Pânico, e agora?! Não tinha o que fazer, o jeito era levar na esportiva e seguir em frente; então, resolvemos nos dividir em grupo para agilizar, uns ficaram na TAM para fazer o registro da ocorrência, e os outros foram para a STAR PERÚ fazer o check-in e pagar a taxa de remarcação. Fila enorme no check in, aeroporto caótico, parecia uma rodoviária.a2d27fd9-d700-4bac-b67b-aaca01155c9f

                              Nova divisão de grupos, uns na fila do check-in e outros para fazer o pagamento. Atendente não sabe calcular e vai passando outros passageiros na frente, porque segundo a lógica dela, nosso voo ainda estava longe! Mas o tempo vai passando, e nenhuma providência, chega a vez do check-in, mas sem a taxa paga, nada feito. Ficamos de lado, novos passageiros passando! Senhora, nossa taxa, por favor! O tempo passando, algum conforto depois que alguns funcionários, nos garantiram que o avião não sairia sem a gente. Enfim, conseguiram resolver, ainda que nossos nomes estivessem ecoando em todo aeroporto de Lima, e saíssemos desembestados pelo meio do povo, corre que o avião está saindo! Conseguimos! Voo maravilhoso, chegamos em Cuzco, e no aeroporto mesmo já fui mascando folhas de coca, não queria problemas com o “soroche”! Quem tinha bagagem pegou a sua, contratamos um táxi oficial e seguimos para a nossa pousada.

La Posada del Viajero

La Posada del Viajero

                           Fiquei encantada com a cidade, era muito mais bonita do que eu tinha imaginado, apesar de não ter criado nenhuma expectativa, nem imagem de como seria Cuzco. Ainda estava no táxi e já pensando em passear pela cidade. img_0008

                            Fizemos o check in, pedimos ajuda para tentar monitorar a minha bagagem, “tentar” descansar, almoçar e seguir com o City Tour a tarde. Graças a recepção e orientação do pessoal da pousada, gente maravilhosa, trocamos a agência de viagens que havia contratado, mas ainda não tinha pago, pois era muito mais caro do que o sugerido pelo pessoal da pousada, para fazer o mesmo passeio. Aproveitamos para contratar também o do Vale Sagrado para o dia seguinte. Em seguida fomos almoçar no El Encuentro Vegeratian Restaurante, indicação da pousada, que ficava bem pertinho. E que nós adoramos, tanto pela energia do lugar, como a decoração linda e aconchegante, e o principal a comida deliciosa!

Restaurante vegetariano o fantasma do "soroche" dando seus primeiros sinais

Restaurante vegetariano, e o fantasma do “soroche” dando seus primeiros sinais

img_0015img_0019

                        A essa altura estava um pouco tonta mas nada demais, terminado o almoço, na verdade não tivemos muito tempo para descansar e o pessoal do tour já estava chegando. Por mais que eu tentasse ignorar o que estava sentindo, tamanha era minha vontade de prosseguir com o passeio, chegou uma hora que tive que entregar os pontos, eu não conseguia andar direito, minhas pernas pesavam chumbo. Não teve jeito, voltamos para o hotel para descansar. Perdemos o passeio da tarde, e só saímos de novo a noitinha! Todos sentiram a altura, mas só eu passei mal de fato. Fiquei arrasada na hora, mas o fato de estarmos todos juntos, num lugar tão mágico, já estava valendo! img_0021img_0017img_0059

                                Fim do primeiro dia, voltar para pousada porque dia seguinte tem Vale Sagrado!

Nossa viagem reinventada para o Peru!

Padrão

img_0210

                Em fevereiro do ano passado(2016), atendendo a insistentes pedidos de Belinha – minha filha caçula – para que fizéssemos uma viagem juntos, os cinco, comprei as passagens para o Peru. No roteiro estava previsto iniciarmos por Lima, no final de abril, depois Cuzco e estaríamos em Machu Picchu no mês de maio, a melhor época, segundo informações obtidas em todos os blogs de viagens. Quase tudo pronto, passagens e ingressos de Machu Picchu comprados, hotéis reservados, quando um acidente de percurso cruzou nossas vidas e tivemos que cancelar a viagem! Segundo a informação recebida da TAM teríamos até fevereiro para “remarcar” as passagens, assim como a STAR PERÚ(Lima-Cuzco-Lima). O tempo passou rápido demais, e já era janeiro/2017, quando mais uma vez Belinha, que sempre me cobrava a remarcação, me colocou contra a parede, já que ela ia viajar em 04/02, para um intercâmbio de 6 meses em Portugal, e a ideia era viajarmos depois que ela voltasse. Pressionada, liguei para TAM e quase surto quando a atendente informou que eu tinha que “viajar” até 16/02, e já era o dia 13/01/2017. Depois do susto, o desafio, estava decidido iríamos sim! Peguei a disponibilidade de cada um e uma semana e um dia depois estávamos embarcando para o Peru. Tive que adaptar pois as meninas só dispunham de quatro dias, e refiz o roteiro da seguinte forma, chegaríamos em Lima, e do aeroporto mesmo já pegaríamos o avião para Cuzco, depois Machu Picchu, e Lima no final, sendo 01 dia para as meninas e 03 para nós(eu, Domingos e Daniel), que podíamos ficar mais tempo. Aconteceram alguns transtornos, e todos nós gostaríamos de ter ficado mais alguns dias, mas isso não foi nada, a viagem foi maravilhosa, nós cinco juntos, num país maravilhoso como o Peru, foi inesquecível! Nos próximos posts seguirá o relato de nossa experiência. #PartiuPeru6f181964-ea06-4269-ab07-086a19dab25c