Butão

Padrão

         Butao                    Não me lembro de ter ouvido falar do Butão antes deste projeto. Talvez tenha no máximo, escutado um nome semelhante, mas que para mim não dizia absolutamente nada. Assim que chegou a vez dele, e fui pesquisar a respeito do país, fiquei literalmente caída de amores.  Fiquei fascinada por todas as características extraordinárias que li a respeito, como se pode observar: O Butão é um minúsculo país/reino budista situado na Ásia, entre a Índia, China e Nepal, nas montanhas perto do Himalaia, com quase 80% do seu território coberto por florestas; a arquitetura é outra grande atração do país, com estruturas rústicas de madeira e taipa, sendo as estacas esculpidas e encaixadas umas nas outras sem a ajuda de pregos, e o acabamento nos telhados é feito a mão; o país ficou fechado ao turismo até 1974, e ainda hoje é um dos poucos que tem uma política restritiva ao turismo, ou seja, não se pode fazer viagens independentes ao Butão, só via operadora, e o visto só é concedido pelo prazo de permanência, com alimentação, hotel, transporte e guia pagos antecipadamente; o país é o mais isolado do mundo aonde a televisão só chegou em 1999; foi lá também que foi criado o conceito de FIB – Felicidade Interna Bruta, que procura dar um ênfase maior aos valores espirituais budistas da população; um pais que tem como meta até 2020 tornar a agricultura 100% orgânica.

                                   Foi neste cenário que cresceu Tsomo, a personagem principal, do livro escolhido “The Circle of Karma” da escritora butanesa, Kunzan Choden. O livro narra a trajetória de vida de Tsomo, sua infância no Butão, onde sendo a filha mais velha, ajuda a mãe nas tarefas domésticas apesar de sonhar em seguir a vida religiosa, mas que para ela é um sonho distante, por ser privilégio dos homens. Com a morte da mãe realiza sua primeira viagem a uma cidade distante, e esse contato com o exterior vai mudar sua vida. O livro descreve em riquezas de detalhes os costumes butaneses, tanto que no início fica difícil distinguir o que é cultural no comportamento de Tsomo, do que vem a ser as características de sua personalidade. Ela é de uma ingenuidade e insegurança difíceis de entender, e que vai se tornando enervante a medida que vemos ela se deparar com os diversos conflitos da vida, e passar por eles sem amadurecer.

                                               O livro foi escrito originalmente em inglês, sendo o primeiro romance da escritora que já havia publicado pequenas histórias e contos populares sobre o Butão. Sem dúvida mais um livro perfeito para o projeto #198 livros, e que vale a leitura.

»

  1. Pingback: Mali « Ana Luiza

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s