Armênia

Padrão

ArmêniaEmbora já soubesse da existência do genocídio armênio, ocorrido durante a primeira guerra mundial, não conhecia em detalhes toda a história. Foi só agora, com o projeto #198livros, que pude aprofundar meus conhecimentos no assunto. O massacre de quase 1 milhão de armênios foi iniciado em 24 de abril de 1915, e a resistência da cidade de Van, foi uma revolta da sua população, uma das poucas, em toda a Armênia, a pegar em armas contra as forças otomanas durante o genocídio armênio.

Até começar a ler o livro escolhido Burning Orchards, do armênio Gurgen Mahari, eu não estava muito animada, achava que o tema do genocídio era muito forte, além de ser um livro grande e em inglês, imaginei que seria maçante. Mas foi só começar a leitura e já fui mudando de opinião, o autor tem uma escrita fluente e dinâmica, até quando descreve as paisagens. Já na primeira cena conhecemos Ohannes, um dos personagens principais, sua personalidade excêntrica e cativante, sua família e amigos. E assim, vamos gradativamente conhecendo os demais personagens, suas histórias, personalidades. Gurgen Mahari, nasceu em Van, em 1903, quando a cidade ainda pertencia a Armênia, e foi deportado em 1915, juntamente com todos os seus conterrâneos, indo se exilar na Russia. O livro é uma declaração de amor a cidade, e na realidade, a cidade de Van é a personagem principal do romance. Mahari, nos coloca na cidade alguns anos antes dos acontecimentos acima mencionados, Ele descreve toda a beleza de Van, com seus jardins, pomares, cercada por montanhas, lago e seus muitos monastérios. Mostra todos os detalhes da vida e costumes na cidade através da rotina de seus habitantes, também chamados de Vanetsi. representados no livro por um grande número de personagens, alguns dos quais existiram de fato. Vamos conhecer o comércio na cidade, e a vida no campo, os cafés e restaurante e a gastronomia armênia e a culinária caseira, visitando o interior da casa de seus personagens. Mas nem tudo é perfeito na cidade, e o amor do autor por ela, não o impede de retratar as imperfeições dos seus conterrâneos, suas fraquezas e conflitos internos, notadamente na política. E por isso, o livro não foi bem aceito pelos armênios, que entenderam que Mahari estaria favorecendo os turcos. Na verdade, a guerra contra os turcos, e o massacre realizado por eles contra os armênios, não é o tema central do livro, apenas a causa que levou a ruína da cidade. Fiquei fascinada pela cidade e pelos Vanetsi, e é muito triste saber que a cidade agora pertence a Turquia. Em uma das últimas conversas antes de deixarem Van, Ohannes e seu amigo Panos, se questionam, sobre quem precedeu a quem, Van ou os Vanetsis. Livro maravilhoso, que vale a pena a leitura.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s