Dinamarca

Padrão

          Depois do sucesso impressionante da saga “Millennium” de Stieg Larsson, a literatura nórdica (Suécia, Noruega, Finlância, Dinamarca e Islândia), entrou em evidência, principalmente no gênero  thrillers e romances criminais da atualidade, no qual seus autores são conhecidos como os melhores. Não se sabe ao certo, o que os tornaram tão brilhantes no tema, talvez a segurança em vivem, com poucos crimes, numa vida tranquila demais, tenha surtido o efeito contrário, e necessidade de viver perigosamente, criando fantasias. Assim devido a facilidade, escolhi nesse gênero, A Mulher Enjaulada, do escritor Jussi AdlerOlsen. Esse livro foi traduzido do alemão por João Ventura, e publicado em 2014, pela Editora Record. Ele foi publicado em Portugal com o nome de O Guardião das Causas Perdidas, pela editora Presença, também em 2014, sendo adaptado para o cinema dinamarquês, em 2012. Jussi Adler-Olsen nasceu em Copenhague, em 02 de agosto de 1950, e dentre outros trabalhos, foi editor de diversas publicações antes de começar a escrever obras de ficção. A Mulher Enjaulada é o primeiro romance da série Departamento Q, ao que se seguiram Desejo de Vingança e A Mensagem na Garrafa. 

De forma simultânea, o livro conta a história de Merete Lynggaard, uma jovem política com uma carreira meteórica, que desaparece sem deixar rastros, em meados de 2002, sendo o caso arquivado depois que as investigações se mostraram infrutíferas, e de Carl Morck, um detetive veterano, que recentemente sofreu um abalo ao ter perdido um parceiro em uma diligência. Ao voltar, depois da licença, fica responsável pelo Departamento Q, recém criado para cuidar de casos importantes que foram arquivados sem terem sido solucionados. O desaparecimento de Merete vem a ser seu primeiro caso, mal instalado, em um subsolo, Carl conta apenas com a ajuda do assistente, Assad, um estranho e divertido imigrante árabe, e juntos começam a trabalhar no caso Merete. A trama é eletrizante, ao mostrar alternadamente a histórias dos dois, indo e vindo no passado/presente, ficamos sabendo a terrível situação de Merete, de que forma foi enjaulada, e o perigo que corre sua vida, sem no entanto saber as razões, por outro lado, vamos acompanhando o aprofundamento do trabalho de Carl, descobrindo pistas que a polícia deixou passar, e que vão dando um novo rumo as investigações. Mas o tempo está correndo contra Carl, e só nos resta prender o folego e torcer para que não chegue tarde demais até Morete.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s